quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Esse tal conforto ambiental

Semana passada um cliente me perguntou o que era esse tal conforto ambiental que eu tanto falava. Então fui explicá-lo e depois de escutar as minhas considerações, ele mesmo concluiu a sua fundamental importância em qualquer projeto de arquitetura. 
Minha intenção é orientar de forma clara com uma linguagem informal o que muitos desconhecem na hora de buscarem a realização de um sonho de construir a casa onde vai viver com a família, receber os amigos e passar boa parte da vida...

Então vamos lá !!

Projetar em locais com recursos naturais em abundância como é o caso dos condomínios afastados dos centros urbanos tem muitas vantagens que devem ser aproveitadas ao máximo. Insolação, ventilação natural, entornos envolvidos por matas, lagoas, cachoeiras, uma natureza sendo invadida por construções. 

Isso é, para nós, arquitetos, um prato cheio e tirar partido disso só engrandece o projeto. 


INSOLAÇÃO


O sol é a fonte inesgotável de calor e o grande responsável pelo conforto ou "desconforto" ambiental. Saber a posição exata do Norte quando vai adquirir um terreno é importante para não ter surpresas no desenvolvimento do projeto. Muitas pessoas sonham em construir uma casa com uma bela piscina na parte posterior do terreno sem imaginar que aquele local não é o mais adequado para a colocação da mesma por uma simples razão: não receberá sol. 

Projetar uma casa bem iluminada, sem a necessidade de acender luz durante o dia é, além de muito agradável, um respeito ao meio ambiente. O ideal é que as janelas dos quartos estejam, sempre que possível, voltadas para o leste (nascente) para receberam o sol da manhã. As fachadas projetadas com vidros se forem voltadas para o Norte, devem ser protegidas com varandas ou balanços que diminuam a incidência do calor gerado durante todo o dia. Fachadas voltadas para o Sul são ideais para a localização de garagens pois não recebem insolação no decorrer do ano.  Já as placas de aquecimento solar que ficam na cobertura devem estar voltadas e inclinadas para aproveitarem ao máximo a orientação solar. Projetos de casas com telhados coloniais já devem ser pensados desde o estudo preliminar para que as placas não comprometam o visual. O sol evita umidade que pode acarretar o aparecimento de mofo em armários, paredes e causar prejuízos à saúde. Por isso, aproveitar o que ele tem pra nos oferecer é, sem dúvida, fundamental na realização de um projeto. 


Ventilação

Assim como o sol, a ventilação natural contribui muito para o conforto ambiental. Projetar portas e janelas que permitam uma boa troca de ar faz com que a edificação tenha o seu interior sempre renovado pelo simples fato de abrí-las. Todos os cômodos devem ser ventilados, mesmo aqueles que, pelo código de obras do local não tenham essa exigência. Digo isso em função dos diversos benefícios que a ventilação natural traz. 

 

Outro aspecto importante para o conforto ambiental é o pé direito da edificação. Pé direito é a altura do piso ao teto dentro do ambiente. Quando o PD é muito alto num determinado cômodo a tendência é que esse ambiente torne-se mais fresco que os demais com PD mais baixo. Isso porque a concentração do ar quente na parte superior é muito maior em função da diferença de peso. Ar quente sobe e ar frio desce... 
Então, se deseja ter uma casa mais quentinha, leve em consideração essa dica. Dormitórios de edificações em locais quentes e úmidos devem ter forros mais altos, ao contrário daqueles em regiões frias, onde o ideal é projetar forros retos e baixos. 

São muitas as dicas sobre esse assunto, em breve, trarei outras. O importante é saber que onde quer que você vá construir, lembre-se disso e sempre que for possível, aproveite daquilo que o maior arquiteto já projetou.  







terça-feira, 15 de setembro de 2015

Menos é mais


Encontramos arquitetura para todos os lados que olhamos e para todos os gostos ! 
Casas modernas, casas coloniais, casas de fazenda, não importa o estilo, cada projeto tem a sua identidade. Aqui em Alphaville é visível o crescimento de novas obras e com isso, sonhos vão se tornando realidade a cada dia. Fazer um projeto de arquitetura envolve sensibilidade, técnica e, antes de tudo, personalidade. Cada projeto deve ser único e projetado de forma que atenda aos desejos do cliente sempre levando em consideração os aspectos técnicos, funcionais e estéticos, elementos fundamentais para a elaboração de um projeto de sucesso.




A escolha dos acabamentos, principalmente num projeto residencial conta muito no resultado final e deve ser pensado  já no estudo preliminar. Hoje encontramos uma variedade enorme de revestimentos como pedras, madeiras, cimentícios, vidros, o que contribui para engrandecer os projetos. 

Para elaborar a composição dos painéis hoje muito utilizados externamente para compor as fachadas e também em ambientes internos é ideal a ajuda do profissional de arquitetura. É ele quem vai dimensionar, paginar e mostrar como e quanto usar de modo que seu projeto seja valorizado sem pesar no bolso. 

Misturar pedra e madeira, pode ! Misturar pedra e vidro, também pode ! Pisos cimentícios combinam muito bem com decks de madeira ! Mas antes de sair misturando tudo faça um estudo de detalhamento e lembre-se da célebre frase do arquiteto alemão Mies Van der Rohe, figura central do movimento modernista: “Less is more”, traduzindo, Menos é mais.


Ousadia nos projetos é fundamental mas sem perder 
o equilíbrio e a proporção dos elementos e das formas. 

domingo, 6 de setembro de 2015

Escolhendo um terreno

Várias pessoas me pedem orientação na escolha de seus terrenos. Isso é ótimo e ajuda bastante na concepção do projeto pois assim é possível no ato da aquisição do lote mostrar ao cliente os diversos aspectos que devemos considerar ao escolher o local onde será edificada a construção.

Minha dica de hoje é para quem está buscando realizar um projeto em um LOTE DE ESQUINA.

É difícil alguém que não se apaixone por esses lotes pois os mesmos oferecem inúmeras possibilidades de implantação. Porém o que os lotes de esquina têm de diferente em relação aos demais e que, muitas vezes, ninguém atenta para isso é a questão dos afastamentos obrigatórios. Como na maioria dos casos estão voltados para duas ruas, os afastamentos ocupam uma área considerável fazendo com que a área não edificante do terreno se torne maior em relação aos demais que são localizados dentro das quadras (quarteirões).Tendo esse conhecimento e, se possível a orientação prévia de um profissional da área, fica claro como realizar o projeto dos sonhos, sem surpresas e de acordo com as premissas de cada local como foi o caso desses dois projetos que desenvolvi recentemente. São duas situações bem diferentes:

PROJETO 1: 

 Lote com 419 m², voltado para duas ruas com afastamentos de 3,00 metros e divisas lateral e de fundos com afastamento de 1,50 metros.
                                

   
PROJETO 2: 


Lote com 692 m², voltado para duas ruas com afastamentos de 7,00 (fachada principal) e 5,00 metros (fachada secundária), área institucional e demais divisas com afastamento de 2,50 metros.



Então a dica é essa: quando for adquirir um terreno de esquina informe-se antes sobre os afastamentos obrigatórios além do coeficiente de aproveitamento (área total/área do lote) e taxa de ocupação (área de projeção/área do lote) para ter certeza que o projeto que você deseja vai se encaixar no terreno escolhido ! Espero ter ajudado e se precisar de orientações, entre em contato !